Whatsapp 13 99208-1607 | Mail: dpantunes@danielpenteado.com.br



Domingos André dos Santos | Mestre Di Mola | Bahia 1952 - 2001


Nombre: Domingos André dos Santos

Pais: Brasil

cidade: Salvador de Bahia

Nascimento: 1952

Domingos André dos Santos nasceu na cidade de Ituberá, Bahia, em 1952. Ainda criança, veio para Salvador e fundou na década de 1960, junto com outros capoeiristas adolescentes a roda de capoeira que acontecia no Mercado Modelo, atraindo muitos curiosos.

Era uma outra maneira de organização da capoeira que se moldava. Não era nem a roda que acontecia nas ruas caracterizadas, no início do século XX, como brigaentre marginais, nem era uma capoeira esporte, com aula e filosofia ensinadas em um espaço fechado.

Era uma forma de espetáculo. Mestre Di Mola, além da capoeira, era também conhecedor de diversos aspectos ligados à ancestralidade africana.

Seu primeiro contato com a capoeira, foi quando viu o seu Avô (Manoel Rita) e seu pai (Andre Assunçao) jogarem. Na regiao de Camamu, Sul da Bahia num povoado chamado Ronco. No jogo eles usavam muito os cotovelos as cabeçadas, os pés e a maldade. O som era feito com berimbau de boca.

Desde de sua infáncia Di mola foi guiado pelo sonho de liberdade intensa e conhecer o mundo, aos nove anos de idade fugio de casa sem destino. Em busca de novos horizontes o mestre ainda criaça viveu experiêcias fascinantes, foi trabalhar num circo, no começo vendia pipocas, depois passou a substituir um artista que fazia acrobacia a dez metros de altura.

Ao chegar em Salvador, Di mola através de um cunhado capoeirista ver e participa de uma roda de capoeira com todos os instrumentos, berimbaus, pandeiros, atabaque, agogo e reco-reco. Imediatamente o mestre se sente indentificado com aquela movimentaçao corporal, e a forte energia da capoeira. Entao o mestre se deixa levar pelo ritimo contagiante da roda.

Na sua caminhada, pela vida da capoeiragem, Di mola conheceu o mestre Caiçara, que li apelidou na capoeira, e nessa luta cultural, Di mola também teve a oportunidade de conhecer e jogar com outros mestres famosos como, Pelé da bomba que durante um tempo esteve treinando, conheceu também Bimba, Pastinha, Traíra, Valdemar entre outros. Teve participaçao nos filmes, dança de guerra de Jair Moura 1968, Capitaes de areia, De Jorge Amado.

Na década de 60, Di mola, Diabo as Quedas, Gajé, Índio, Dois de ouro e Cebolinha foram reponsaveis pela re-organizaçao e resistencia no desenvolvimento cultural da capoeira no Mercado Modelo.

Di mola tabém levou e jogou a capoeira, aos Estados Unidos, África do sul, França, Buenos Aeires, Índia, Cuba, México e Jamaica... Ensinou em Sao Paulo e no Rio de Janeiro. No Rio recebeu o apoio dos irmaos Royler e Rickson Gracie, com quem trocou experiêcias.

Mestre Di mola, foi um bom jogador de capoeira, bom tocador, cantador, e compositor, era um tipo de "legenda na capoeira de rua do Mercado Modelo" Capoeirista misterioso que escondia no fundo dos olhos imagens secretas de grandes rodas, como a do dia 8 de desembro... Festa da Conceiçao da Praia só entra na roda quem está preparado pro jogo.



Relato no Jornal da Epoca sobre o ocorrido com a Morte do Mestre Dimola



Maria Bárbara Berengher, de 40 anos, foi condenada a 12 anos de prisão pelo assassinato do fundador da capoeira no Mercado Modelo, mestre "Di Mola". O julgamento que demorou 10 horas aconteceu na manhã de anteontem, no Fórum Ruy Barbosa, presidido pelo juiz Vilebaldo Freitas e pelo promotor, representante do Ministério Público Estadual (MPE), Luciano Assis.

A família de Domingos André dos Santos, que estava aos 49 anos na época do crime, mais conhecido como mestre "Di Mola", luta por justiça há nove anos. "Sei que não vamos ter ele de volta, mas agora a justiça foi cumprida", desabafou a esposa da vítima, a cabeleireira Júnia Onofre.

Conforme os familiares do capoeirista, o crime aconteceu no dia 16 de outubro de 2001, dia do aniversário de "Di Mola", que foi comemorado com uma festa em sua residência, em Pituaçu. Segundo Júnia, a vítima foi levar um irmão até um ponto de ônibus, quando encontrou com Maria Bárbara próximo à sua casa e ela desferiu um tapa no seu rosto.

Ao retornar, o capoeirista, acompanhado da esposa, foi tirar satisfação com a agressora, quando começou uma nova discussão. Porém, a acusada conseguiu golpear o mestre, quando este se encontrava distraído.

"Di Mola" foi socorrido para um hospital, mas não resistiu aos ferimentos provocados com perfurações de faca na barriga. Maria Bárbara chegou a ficar presa na época, mas, por estar grávida e ter se apresentado à polícia, respondia o processo em liberdade. No julgamento, ela chegou a confessar o crime e chorou várias vezes, demonstrando arrependimento.

Mestre "Di Mola" era muito conhecido nas rodas de capoeira do Mercado Modelo, pois foi um dos fundadores da roda de capoeira no local. Suas gingas e saltos realizados na capoeira de rua se transformaram em cartão-postal da Glossary Link Bahia, e o levaram a representar a arte e ser reconhecido em diversos países

Fonte: http://www.tribunadabahia.com.br 2010




Todas as Fontes Internet

Volta a Biografia

Volta ao Topo



Comentários e Sugestões

foxyform
Pesquisar No Site


Video Mestre Di Mola

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player